Quando você for um Padawan

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

Se você chegou até aqui, significa que se inscreveu no Programa Padawan 2020 – Edição Maringá e isso deixa a gente muito feliz! Para que você siga nesse processo sabendo o que te espera lá na HBSIS, criamos este conteúdo. As inspirações que resultaram no programa, sua estrutura de desenvolvimento dos profissionais que chegam até o fim e depoimentos de pessoas que já passaram pelo que caminho que você está percorrendo agora. Tudo isso está aqui te esperando. Só vem! 

Se você lembrou do Star Wars quando se inscreveu no processo seletivo, significa que a sua memória vai muito bem, obrigado. É exatamente essa a inspiração desse programa de desenvolvimento. Então, caso você tenha ficado com alguma dúvida sobre isso: o Padawan  não é um programa de estágio ou de trainee e é exatamente isso que nos permite abrir as inscrições para qualquer pessoa com mais de 16 anos. 

De Padawan a Jedi

Caso você seja um dos fãs de Star Wars ou pelo menos já assistiu à um dos filmes, sabe que o Padawan é o personagem escolhido para se tornar um Jedi. Também é assim aqui na HBSIS! Quem chega ao final do processo seletivo vai para o nosso Templo Jedi e começa o seu processo de formação. O templo não existe fisicamente, ele representa essa espécie de incubadora onde todo mundo que faz parte do Programa vai para crescer. 

Estrutura do Programa 

Este processo de crescimento começa com um curso com uma empresa parceira  que vai te ensinar o básico de programação e lógica, passando por linguagens como Java e Python, além do desenvolvimento em plataformas Android e IOs. Será durante essas aulas que você vai ganhar a bagagem para passar para a próxima fase do Padawan, o Templo Jedi. Essa faze diz muito sobre como funciona a Cultura Organizacional da HBSIS. Não existe um tempo máximo para que alguém passe pelo curso, o tempo de permanência vai depender da curva de aprendizado de cada um. Ou seja: a gente entende que cada pessoa aprende de um jeito e em um determinado ritmo.

Enfim, Templo Jedi

Depois de aprender o que precisava ser aprendido sobre lógica, programação e sobre a nossa cultura, você vai entrar efetivamente no Templo Jedi. Nessa fase, os padawans começam a trabalhar em equipe, para que possam desenvolver pequenos projetos. Esses projetos, que muitas vezes buscam soluções que são implementadas na própria HBSIS, vão te colocar em contato com experiências e práticas que são importantes para quem trabalha na empresa. 

A intenção da transição da sala de aula para o Templo é fazem com que os Padawans comecem a se familiarizar com o ritmo de uma equipe de desenvolvimento de produtos, além de desenvolverem soft skills que serão muito úteis profissionalmente. No dia a dia de um desenvolvedor, a pesquisa e busca por novos conhecimentos são constantes. É justamente essa independência para buscar novos conhecimentos que queremos estimular no Tempo. O Darlei , que é coordenador do Programa Padawan nos disse que algo que representa muito bem o que acontece no Templo: “o nosso foco são as pessoas, nessa fase não nos preocupamos com pressão, prazos e entrega de produtos. Nossa intenção é entregar as pessoas bem preparadas”. 

Partiu nave HBSIS

Depois de tudo isso, os padawans são inseridos nas equipes da HBSIS. Se você observar este caminho que a gente acabou de contar, vai entender mais uma coisa sobre a cultura da empresa: por trás de todas as nossas decisões, existe estratégia! Fazer com que os participantes do processo passem por essas fases nos leva a dois resultados incríveis: Quando chegam na HBSIS, eles já entram jogando.  

De um Padawan para outro 

A Estefani Voigt, que fez parte de uma edição anterior do Programa Padawan, que aconteceu em Blumenau – SC, conversou um pouco com a gente sobre a sua experiência. Para ela, que não era da área da tecnologia, foi um desafio. Seu treinamento técnico foi na linguagem de programação C Sharp. Ao entrar no Templo, ela se deparou com a realidade da HBSIS e acabou se interessando pelas funções exercidas pelas pessoas que ocupam o cargo de Scrum Master. Ainda no templo ela procurou a sua gestora para declarar que queria ser uma Scrum Master quando entrasse efetivamente na empresa. Não só ela foi ouvida, como começou a ser preparada, ainda no Templo, para um dia ser uma Scrum Master.

O Henrique Kyung Kang, que participou da primeira edição do Programa Padawan e hoje trabalha na HBSIS, nos contou que a principal mudança de lá até aqui é a agilidade para atender os Padawans e suas necessidades, cresceu muito. Por exemplo: se um participante demonstra levar muito jeito para determinada linguagem, a empresa rapidamente busca maneiras de ajudá-lo a superar essas dificuldades ou até mesmo pensa em outras formações que podem combinar mais com ele. Ele ainda nos disse que “o Programa mudou a minha percepção em relação à quantidade de conhecimento que alguém pode adquirir”. 

E aí, depois de saber como funciona todo o nosso processo você ainda tem alguma dúvida em relação a como ele vai te ajudar a se desenvolver profissionalmente? Vem fazer parte desse time! 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

Artigos relacionados

Compartilhe esta vaga

Compartilhe com seu amigos

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp